viva-bicho-81

Viva Bicho

viva-bicho

Viva Bicho

Publicidade Posts

tmw-telecom

TMW Telecom

Todos no Pacto Por Elas

Frente Parlamentar de Combate à Violência Doméstica é criada na Alesc. Iniciativa da deputada Ada De Luca (MDB) tem apoio das parlamentares Luciane Carminatti (PT), Marlene Fengler (PSD) e Paulinha (PDT).

Todos no Pacto Por Elas
(Foto: Claudia Menezes)

Unir esforços para a integração e o alinhamento dos trabalhos pelo fim da violência doméstica é o objetivo da da Frente Parlamentar de Combate à Violência Doméstica, instalado ontem à noite em ato na Assembleia Legislativa. No mesmo ato foram lançados Pacto Por Elas e o Selo Pacto Por Elas. Proposto pela deputada Ada De Luca (MDB), com o apoio da bancada feminina - deputadas Luciane Carminatti (PT), Marlene Fengler (PSD) e Paulinha (PDT) -, o pacto foi assinado pelos representantes dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, pelo Tribunal de Contas, Ministério Público, Federação das Indústrias (Fiesc), Associação de Diários do Interior (ADI-SC) juntamente com a Associação dos Jornais do Interior (Adjori-SC), além de representantes da sociedade civil organizada, entre outras instituições. Com o pacto, as diferentes instituições comprometem-se a unir esforços para diminuir os índices da violência doméstica em Santa Catarina. "Existem muitas iniciativas importantes que são fundamentais e que precisam ser integradas e alinhadas", disse a deputada Ada De Luca. O presidente Institucional da ADI-SC, Nelson Pereira (foto abaixo), ficou impactado com os áudios liberados pela Polícia Militar de vozes femininas, infantis e adolescentes pedindo socorro. "Um estado como o nosso, com tantos dados positivos, não pode conviver com tamanha violência", manifestou referindo-se ao fato de que Santa Catarina é, proporcionalmente, o segundo estado em casos de violência doméstica e de estupros. De janeiro até agora, já foram registrados 28 casos de feminicídio em Santa Catarina. Na foto de cima, Ada De Luca, o presidente da Adjori, José Roberto Deschamps e Pereira.

SCGÁS chega à metade do período de concessão com resultados expressivos

Presente em 62 municípios catarinenses com mais de 1.150 quilômetros de gasodutos, a SCGÁS atinge em 2019 a metade dos seus 50 anos de concessão para o serviço de distribuição de gás natural em Santa Catarina. Ao longo dos primeiros 25 anos de atuação, a empresa investiu R$ 1,2 bilhão em infraestrutura e distribuiu mais de 10,2 bilhões de m³ de gás natural ao mercado catarinense. O Estado é o segundo do país com o maior número de municípios atendidos e a distribuidora ocupa a segunda posição em número de consumidores industriais. Atendendo apenas o mercado não térmico, a SCGÁS iniciou este ano com cerca de 13.500 clientes entre os mercados industrial, automotivo, comercial e residencial. Neste ano a empresa deve se aproximar da marca de 15.000 clientes. O segmento de maior consumo, com volume médio superior a 80% do total distribuído, é o das indústrias: são mais de 280 atendidas pela companhia e que representam cerca de 60% do PIB industrial do Estado. As metas da SCGÁS para os próximos 25 anos, até o final da concessão em 2044, são as seguintes: atingir a marca de mais de 2.300 quilômetros de rede implantada, distribuir ao mercado não térmico um volume médio de pelo menos 3,3 milhões de m³/dia de gás natural e investir um total de R$ 2,3 bilhões com infraestrutura. Com isso, mais de 80% do PIB catarinense será atendido pela empresa ao longo dos próximos 25 anos de atuação.

Inclusão

Governador Carlos Moisés enviou ofício formalizando pedido a todos os deputados e senadores catarinenses para que apresentem emenda ao relatório do deputado Samuel Moreira, incluindo estados e municípios na proposta de reforma da Previdência. Com isso, reforça manifestação que já fez ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao próprio presidente, Jair Bolsonaro.

Após a aprovação do requerimento apresentado pelo senador Dário Berger (MDB-SC), a Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado realizará hoje uma audiência pública para debater a Lei 12.881, de 2013, que trata do reconhecimento das Instituições Comunitárias de Educação Superior.

Sinal sonoro

Durante reunião da Comissão de Viação e Transportes, o deputado federal Hélio Costa (PRB-SC) sugeriu a implantação de um sinal sonoro emitido no ponto de ônibus informando o trajeto e a linha. A ideia poderá ser transformada em projeto de lei, mas passará ainda por uma análise de constitucionalidade.

Publicidade Posts

Publicidade Posts

Compartilhe isso
Comentários

Olá, deixe seu comentário para Todos no Pacto Por Elas

Enviando Comentário Fechar :/